SÃO THOMÉ DAS LETRAS: A cidade de pedra

Viagem realizada em novembro/2014


Sempre tive vontade de conhecer São Thomé das Letras de tanto ouvir falar do misticismo dessa cidade. É só dar uma rápida busca no Google que vem centenas de lendas e mistérios sobre esse lugar. Tem histórias contando desde aparição de extraterrestres até relatos de pessoas que simplesmente sentem uma energia diferente nesse local, algo inexplicável. Como sou muito curiosa fui até lá para conferir! Passei apenas um final de semana em São Thomé e já vou logo falando: não senti nada de diferente... É claro que rola uma sensação boa, principalmente nos mirantes e nas cachoeiras. Mas quem não tem essa sensação quando está curtindo a natureza? Pois é... Comigo não rolou essa energia toda. Mas adorei a cidade mesmo assim!

São Thomé das Letras fica no alto de uma montanha lá no sul de Minas, a mais de 1400 metros de altitude. Além da fama mística, também é conhecida como a "cidade de pedra" por causa de suas construções. Boa parte das casas são feitas com pedras extraídas da própria região. Essas pedras são cortadas e colocadas cuidadosamente uma em cima da outra, formando as paredes que sustentam as casas. O mais impressionante é que não é utilizado nenhum tipo de argamassa para ajudar nessa sustentação. Esse tipo de construção, juntamente com o misticismo do lugar, acabaram fazendo com que São Thomé se tornasse uma cidade turística.

Boa parte das construções da cidade são de pedras
Até os restaurantes!
Mensagens ligadas ao movimento "paz e amor" estão espalhadas por todo canto

Me hospedei na Hospedaria Pirâmide do Pôr do Sol. Apesar de ter uma boa avaliação no Booking.com, não gostei da pousada... Achei as instalações precárias, desconfortáveis e o café da manhã beeem fraquinho. A localização é boa (ao lado do ponto turístico Casa da Pirâmide), mas longe do centrinho. Enfim, não me hospedaria lá novamente.

Essa primeira construção azul do lado esquerdo é a pousada onde me hospedei

Cheguei em São Thomé de manhã bem cedinho, por volta das 7h30. Logo de cara já fui recepcionada por um tucano! Nunca tinha visto um assim, solto na natureza!! Ele tava lá em cima de uma árvore, só esperando eu tirar uma foto (porque logo depois ele saiu voando, rs). Fui para a pousada, deixei minha mochila por lá e sai para conhecer a cidade. O primeiro ponto turístico que visitei foi o cartão postal de São Thomé: a Casa da Pirâmide. Essa pirâmide é uma construção feita em pedra que nunca foi finalizada (sabe-se lá o motivo...) Ela fica na parte mais alta da cidade e tem uma vista 360 graus das montanhas da Serra da Mantiqueira. É lindo, lindo!!!

Portal na entrada de São Thomé
own... olha quem veio me recepcionar
A Pirâmide do Pôr do Sol, a construção mais alta da cidade

Pertinho da construção da pirâmide tem o Cruzeiro e a Pedra da Bruxa, que também são pontos turísticos. Confesso que não encontrei a tal pedra que tem o formato do rosto de bruxa e também fiquei com preguiça de procurar... rs Depois de muitas fotos, desci para a cidade. Na praça Barão de Alfenas (aquela em que vi o tucano logo que cheguei) fica a Igreja Matriz. Essa igreja, em estilo barroco, é muito bonita e foi construída por volta de 1785. Essa pracinha é super charmosa e arborizada. Tem até coreto!!! Ao lado da igreja fica a Gruta de São Thomé, outro famoso ponto turístico. Foi nessa gruta que a cidade originou-se e existe uma lenda sobre isso. No site Visite São Thomé tem a curiosa história. O link está aqui.

As montanhas... s2
Igreja Matriz (à esquerda) e Praça Barão de Alfenas (à direita)
Gruta de São Tomé

Continuei a caminhada pelo centrinho e encontrei mais uma praça super bonitinha e com uma outra igreja: a Igreja Nossa Senhora do Rosário. Dizem que essa igrejinha começou a ser construída pelos escravos, no século XVIII, porém só foi finalizada e entregue à população muuuitos anos depois, em 1995. Ela é toda feita em pedras, a arquitetura típica de São Thomé. Muito fofa! Também fiquei encantada com a quantidade de pássaros nessa praça. Um mais bonito (e barulhento, rs) que o outro!

Igreja Nossa Senhora do Rosário, mais conhecida como Igreja de Pedra
Muitos pássaros
Tesourinha
Pracinha super florida

Outro atrativo de São Thomé é assistir ao sol se pondo na parte mais alta da cidade. Quase todo mundo se reúne na Casa da Pirâmide ou no Cruzeiro no finalzinho da tarde. Tem gente que leva violão e já fica por lá até de madrugada! rs A vista desse lugar é linda e, com as cores do pôr do sol, fica mais bonita ainda!

Uma multidão se reúne na parte mais alta de São Thomé
Pôr do sol, sempre lindo!

No segundo (e último) dia, fiz um passeio com o Trans Pororoca Tur. Esse é o ônibus turístico mais famoso de São Thomé! Parece que existem dois roteiros diferentes, um aos sábados e outro aos domingos. O passeio dura o dia todo e achei o preço super justo. Ele sai da pracinha da Igreja de Pedra entre 9h e 9h30. É super fácil de achar, pois o ônibus é todo colorido e bem antigão. A primeira parada foi na Gruta do Sobradinho, na cidade de Sobradinho. A gruta é bem legal, completamente escura e cheia de poças d'água. Não tem como sair de lá sem molhar os pés! Ela tem aproximadamente duzentos metros de extensão. É cobrada uma taxa de visitação e eles emprestam uma lanterna para você conseguir se locomover lá dentro. Um guia acompanha o grupo e vai contando curiosidades da gruta. A parte mais assustadora foi ver uma comunidade de morcegos que morava lá dentro! Eu quase sai correndo! rs Na saída da gruta tem uma pequena piscina natural para se refrescar. É um lugar bem bonito!

O ônibus do Trans Pororoca Tur
A cidade de Sobradinho
Entrada da gruta (à esquerda) e interior da gruta (à direita)
Na saída da gruta há uma piscina natural
A água é gelaaada

Saímos da Gruta do Sobradinho e paramos em duas cachoeiras: Cachoeira da Lua e Vale das Borboletas. A Cachoeira da Lua é muito divertida! Existe uma corda para as pessoas se jogarem dentro da piscina natural. Achei muito engraçado ver as pessoas pularem! O Vale das Borboletas é bonito também, mas como é a cachoeira mais próxima da cidade, estava lotado e não deu para aproveitar muito. A água estava bem escassa devido a falta de chuvas na região. Quase não tinha queda d'água! Também fomos na famosa Ladeira do Amendoim, aquela onde os carros sobem sozinhos uma estradinha com uma leve inclinação. Não sei qual a explicação científica para isso, mas os carros sobem sozinhos mesmo! É verdade! rs

Entrada da Cachoeira da Lua
Cachoeira da Lua
Vale das Borboletas
Muito cheio!

Depois do passeio, fui arrumar minhas coisas para ir embora. Aproveitei e passei em algumas lojinhas para comprar doces e lembrancinhas. O artesanato local também é todo feito de pedras. Uma graça! É difícil escolher o que levar. E para me despedir de São Thomé, assisti ao meu último pôr do sol. Que foi lindo (de novo)!

Artesanato local feito de pedras
O filtro dos sonhos também é muito comercializado por aqui
O último pôr do sol

Gostei muito de conhecer São Thomé das Letras! Apesar de ter ficado pouco tempo na cidade, deu para aproveitar e relaxar bastante. Muitas cachoeiras terão que ficar para uma próxima visita, assim como a famosa Gruta do Carimbado (aquela que dizem chegar em Machu Picchu, no Peru), que estava interditada para visitação.


NOSSA AVALIAÇÃO:




Todos os textos e fotos contidos nesse blog são minha autoria e não podem ser reproduzidos sem autorização.