ITAÚNAS: Pés na areia e no forró

Viagem realizada em dezembro/2016


Amo vilas de praia com estilo mais rústico. Aquelas ruas sem calçamento, com muito verde e casinhas coloridas me encantam de uma tal forma que não consigo explicar. Deve ser a simplicidade, só pode ser! E assim que ouvi falar em Itaúnas, não tive dúvidas de que precisava ir conhecê-la. Essa vila super famosa pelo forró e pelas dunas fica lá em Conceição da Barra, no litoral norte do Espírito Santo, na divisa com a Bahia. Bom, se faz divisa com a Bahia é claro que só podemos esperar coisa boa, não é?

Acredite: antigamente, antes dos anos sessenta, a vila não ficava aí. Todas as casinhas dos pescadores eram do outro lado do Rio Itaúnas, beirando o mar. Só que um constante e descontrolado desmatamento fez com que a areia das dunas se deslocasse e soterrasse toda a vila... Uma tristeza! Como esse processo foi bem lento, deu tempo de todo mundo migrar para um local mais seguro, do outro lado do rio. E a vida em Itaúnas seguiu, sem perder a tranquilidade. Ah, e para conter o desmatamento irregular, criou-se o Parque Estadual de Itaúnas (em 1991) e, felizmente, as dunas, manguezais, riachos e um trechinho da Mata Atlântica estão bem preservados até hoje. A sossegada vila de pescadores também ganhou pousadinhas (algumas bem simples, outras mais glamurosas e cheias de charme), restaurantes e bares rústicos, animadas casas de dança e o famosíssimo Festival Nacional de Forró (que lota a vila no mês de julho).

Muitas flores espalhadas pela vila de Itaúnas
Ruas de terra garantem um charme todo especial à vila

Quando estava planejando a viagem, minha ideia inicial era conhecer apenas Itaúnas. Porém tive um pouco de dificuldade em conciliar os horários dos ônibus (que são bem escassos) entre Vitória, Conceição da Barra e Itaúnas (principalmente neste último trecho e ainda mais aos finais de semana e fora de temporada). Por conta disso acabei optando ficar hospedada em Conceição mesmo e ir fazendo bate-volta para Itaúnas (são pouco menos de trinta quilômetros de distância). Mas isso não deu muito certo... Na verdade tô fazendo esse drama todo porque achei que fiquei pouquíssimo tempo por lá (só consegui ir em um dia) e não consegui conhecer tudo o que queria. Itaúnas é aquele tipo de lugar que pede mais tempo, de tão gostoso que é.

Igreja Matriz na praça principal
Coruja buraqueira, moradora da praça

Acho que a melhor forma de chegar em Itaúnas é de carro. Se você estiver a pé não vai conseguir conhecer muita coisa, ainda mais se estiver viajando na baixa temporada (como aconteceu comigo). Li em alguns sites que no período do Carnaval, Reveion e do Festival de Forró tem até vans que levam os turistas para as praias e as agências de passeios funcionam a todo vapor. Porém como fui fora de época, muita coisa estava fechada na vila... Uma pena!

A única praia em que é possível chegar a pé a partir da vila é a Praia de Itaúnas. Mesmo assim é preciso caminhar um pouquinho em uma estrada de terra (coisa de quinze minutos) e depois cruzar as dunas. Esse trecho de subir as dunas é um pouco cansativo (algumas chegam a ter trinta metros de altura), mas a vista lá de cima super compensa o esforço! A paisagem para a praia e para o manguezal é muuuito linda! Fiquei apaixonada! Deve ser lindo ver o nascer ou pôr do sol aí do alto... Infelizmente durante minha visita o tempo não estava tão aberto e bonito, mas mesmo assim compensou muuuito fazer o passeio.

Portal na entrada do Parque Estadual de Itaúnas
Plaquinha na beira da estrada
Estradinha de terra que dá acesso à Praia de Itaúnas e a Praia de Riacho Doce

Quando você chega no alto da duna há vários caminhos para descer até a praia. Dependendo de qual for o escolhido, você chegará em um restaurante/quiosque diferente. Como só fui conhecer a praia, desci por qualquer um e na subida foi a mesma coisa. A praia estava bem vazia (como tudo na vila) e a cor do mar meio cinzenta, mas acho que era por conta do mal tempo. Já vi algumas fotos de outros blogueiros que foram pra lá e o mar estava num tom azulado super bonito.

A Praia de Itaúnas é super extensa e parece não ter fim. Se você caminhar vááários quilômetros para o lado esquerdo (e pegar maré baixa durante todo o percurso) chegará na famosa Riacho Doce. Essa é uma das praias mais famosas da região! Dizem que é linda (e super selvagem) e, do outro lado do riacho, já é Bahia! Oba!!! Há alguns anos atrás esse riacho desaguava no mar. Hoje em dia não é mais assim. Uma pena! O nível da água diminuiu muuuito por causa da seca. Infelizmente não consegui conhecê-la. Queria muito ter ido, mas não rolou.

Vista para o manguezal do alto da duna
Dunas
Praia de Itaúnas

Fui embora de Itaúnas com a sensação de que preciso voltar. Um dia foi super pouco para conhecer a vila e a região, ainda mais estando a pé e na baixa temporada. Pelo que pesquisei há muito o que fazer por lá. No Parque Estadual, por exemplo, tem várias opções de trilhas, sítios arqueológicos, uma base do Projeto Tamar, uma comunidade quilombola, passeio de caiaque pelo rio, passeio de bicicleta... É atividade que não acaba mais! E se ainda sobrar tempo dá para esticar a viagem e ir lá pra Bahia conhecer a Praia da Costa Dourada, cheia de falésias lindas. É sério! Quero muito voltar pra Itaúnas! Tipo agora!


GOSTOU DE ITAÚNAS?
Então também conheça as praias e o centrinho histórico de Conceição da Barra. Ela fica a menos de trinta quilômetros da vila.

ACESSE TAMBÉM:
https://viagenscinematograficas.com.br/2017/07/o-que-fazer-em-itaunas-es.html
http://www.vousemguia.com.br/destino/itaunas-es/

NOSSA AVALIAÇÃO:


Todos os textos e fotos contidos nesse blog são minha autoria e não podem ser reproduzidos sem autorização.